Como fazer uma lista de preços para carga fracionada

Carga fracionada

Carga fracionada

Umas das principais dúvidas dos transportadores e autônomos que acessam o nosso blog é quanto à criação de uma lista de preços para carga fracionada. Há incertezas quanto sua eficácia e o que na realidade muitas das vezes acaba-se observando é perda de competitividade com a ausência de uma lista de preços pré-definida. O transporte de carga é configurado em um mercado de grande concorrência e uma boa política de preços é um fator fundamental para a concepção e sobrevivência desse tipo de negócio. Uma tabela de preços corretamente estruturada pode vir a servir de padrão e facilitar suas negociações, além de melhorar seu posicionamento no mercado.  A melhor maneira de calcular sua lista de preços, quais dados da carga são necessários, quais impostos estão envolvidos e quais os benefícios, você descobre aqui:

Qual a importância de estabelecer uma Lista de preços?

Através da confecção de uma lista de preços os transportadores tem acesso a uma série de informações sobre seus serviços e concorrência o que lhes proporcionam uma análise mais clara e objetiva das oportunidades de negócios e com essa maior compreensão de seu modelo de gestão operacional, pode-se evitar e corrigir eventuais erros na estratégia de suas operações, como por exemplo, quando detecta-se prejuízos ocasionados por erros de cálculos na tarifa cobrada que não consideram viagens ociosas ou transporte de volumes leves, porém que ocupam grande espaço em seus caminhões.

O que pode influir na precificação do valor de um transporte?

Fatores externos e internos da empresa influenciam diretamente e indiretamente na precificação de um serviço transporte, são eles; concorrência, economia, governo, infraestrutura, mercado, destinos onde opera sazonalidade da demanda, tipo de caminhão, tipo de mercadoria, formas de envio, necessidade de interligação, revendedores e comissões, condições de pagamento, gastos com segurança, gastos com funcionários, seguro, alíquotas, taxas adicionais, pedágios, impostos específicos e todos os custos fixos ou variáveis que envolvem a prestação dos serviços de transporte. É importante também ter em mente que margem de lucro esperada pela empresa deverá ser acrescida no calculo de suas tarifas baseada na percepção de valor do serviço junto aos clientes de maneira que supere seus gastos operacionais, porém  buscando manter competitividade no mercado.

Como montar e calcular minha lista de preços?

A determinação de preços deverá ser concebida de acordo com os objetivos de sua empresa que podem vir a ser liderança de mercado, máximo lucro possível ou maior participação no mercado, ou ainda liderança na qualidade sempre considerando, como já mencionado anteriormente, seus custos fixos e variáveis e o ambiente interno e externo da empresa.

Confira tudo que precisa saber para fazer sua lista de preços:

a) O mais recomendado no caso de transporte de cargas rodoviário é basear suas cotações por quilômetros, porém também é comumente tarifação baseada por deslocamento para cidades com preços fixados. O volume ou peso da carga são outros aspectos decisivos para sua cotação, e podem ser respectivamente calculados em centímetros, metros, quilograma ou toneladas. Usualmente o mais recomendado para confecção de uma tabela fixa é por quilograma. Em cargas de grande volume e pouco peso é recomendado o cálculo por cubagem, pois viagens com cargas de grandes dimensões reduzem sua capacidade de armazenagem no caminhão. Com a informação da distância (Quilômetros) e o peso(kg) já se pode chegar ao valor de seu frete-peso;

b) Taxa de frete valor ou Advalorem: geralmente não é cobrada em transportes de pouco valor. O objetivo principal seria provisão de riscos, ou seja, custos adicionais que muitas das vezes não são cobertos pelo seguro;

c) GRIS: Gerenciamento de Risco, percentual sobre o valor da mercadoria que deverá ser cobrado em nota fiscal. É necessário para investimentos em equipamentos de segurança que proporcionem gerenciamento de risco para carga e caminhão;

d) Impostos: podem ser fixos como o ICMS,PIS  e CONFINS ou variáveis como no caso dos estaduais e municipais, assim como os pedágios que também devem ter suas porcentagens acrescidas  a tarifa que irá ser praticada;

e) Taxas adicionais: São taxas que ficam a critério das transportadoras como no caso de viagens a regiões de muito tráfego  e/ou sem possibilidade de  carga de retorno, taxas cobradas pelo despacho, coleta, entrega, atrasos, reentrega, entre outras a serem definidas de acordo com a necessidade da empresa e do tipo de transporte que oferecem.

EXEMPLO DE TABELA DE PREÇOS FRETE RODOVIÁRIO

Faixa Km

0  a  10 Kg

11  a  20 Kg

21 a  40 Kg

41  a  60 Kg

61  a  100  Kg

Exc. 100 kg

Até 100 Km

 

101 a 200 Km

 

201 a 400 Km

 

401 a 600 Km

 

601 a 800 Km

 

801 a 1000 Km

 

1001 a 1200 Km

 

1201 a 1500 Km

 

1501 a 2000 Km

 

Acima 2001 Km

 

 

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

Puedes usar las siguientes etiquetas y atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>